Mano Lima, o pensador dos pampas

Com tanta banda gaúcha migrando pra “Tchê Music”, nada como Mano Lima para recordar o melhor da música gaudéria. O mestre é mais grosso que dedo destroncado; tanto, quesó deixa sua fazenda para cantar suas composições. Recheadas do mais puro gauchismo, tratam de coisas do campo em um linguajar tosco, característico da campanha, próprio do gaúcho nascido e criado no interior.

Mas chega de conversa, deixemos o “hôme” falar por si só.

Espantando Bagual
Mano Lima

(Vuvuvuvuvu)
Temo domando
Temo aprendendo
Temo ensinando

O homem é igual ao cavalo
Quando é bom já nasce pronto
Mas a vida é que dá o pealo
Para deixar de ser potro

O cavalo se ajeita no freio
E o homem na luta em que passa
Um se conhece em rodeio
E o outro na causa em que abraça
Um se conhece em rodeio
E o outro na causa em que abraça

(Vuvuvuvuvu)
Temo domando
Temo aprendendo
Temo ensinando

(Vuvuvuvuvu)
Temo domando
Temo aprendendo
Temo ensinando

O mundo é que doma o homem
E o homem é que doma o cavalo
Uns atropelam no laço
E outros já nascem domados
Não sou xucro, nem domado
Sou manso só de selim
Se me botarem no arado
Quebro a coice o balancim
Se me botarem no arado
Quebro a coice o balancim

(Vuvuvuvuvu)
Temo domando
Temo aprendendo
Temo ensinando

Se gostaste, conheça mais “pérolas” do mestre, lendo suas letras aqui.

2 thoughts on “Mano Lima, o pensador dos pampas

%d blogueiros gostam disto: