Bill Gates vê PC no centro do “estilo de vida digital”

Meu amigo Roberto Drebes hoje:

Eu me espanto como o Bill Gates sempre leva uns 5 anos pra “ver” coisas que visionários se dão conta anos antes.

Eu não me espanto, não, Drebes. Bill Gates não é lento. É cara de pau. E não é a primeira vez que ele oferece produtos e crenças “requentadas”, tu sabes. A idéia do hub digital é 2000, com a introdução do iLife. “A Internet será a maior revolução do século” é de sei-lá-quando.

Mas ele tem seu mérito. Ele é ouvido pela maioria. Ele sabe formatar as “novidades” ao gosto do comum até a sua aceitação pelas massas. Bill Gates sabe vender tecnologia nivelando por baixo. E depois cobra caro por isto.

Não é como um Steve Jobs que é tão seguro de si que lança produtos às vezes tão visionários que naufragam em poucos meses. Não é como o “Steve Mau” que despreza as pessoas que não vêem as maravilhas que ele imagina. Não é um Steve Jobs que aposta toda a sua grana em um negócio que ele acredita, mesmo que possa se dar mal.

Não. Bill Gates é um cara seguidor, mas oportunista. Bill Gates é come quieto. Vai levando seu negócio devagar. Se aproveitando de seu tamanho para abocanhar tecnologias embrionárias já comprovadas mas sem dinheiro para se defender. É um bom capitalista. E recebe os louros por isto.

Mas sempre existirão os que pensam diferente, que inventam, chutam, experimentam, se quebram, levantam. Estes não movem o mundo. Eles revolucionam o mundo. Para depois serem seguidos pelos carregadores de piano.

Escolhe teu time. Think different.

4 thoughts on “Bill Gates vê PC no centro do “estilo de vida digital”

  1. Cesar Mello

    Deixando a paixão incondicional de lado, os números refletem a “competência” do Jobs: market share sempre decadente. 1.8%? Tem números mais recentes Marco? 😉

    http://www.macobserver.com/article/2004/10/29.6.shtml

    É fácil *falar* mal do Bill Gates, mas cada vez mais é indiscutível a superioridade da Microsoft no desenvolvimento de software. Os caras focam no que são bons, não ficam dando tiro pra todo lado.

    Dito isso, aprecio a ajuda que a Apple tem dado ao FreeBSD, e não tenho nada contra seus softwares… Não é porque acho a Microsoft uma das empresas mais competentes da atualidade, que vou desdenhar a Apple.

  2. Marco Andrei

    Mello, mesmo tu querendo me dar um “migué”, passando números antigos, vou comentar tua resposta. 🙂

    Primeiro: ser líder de mercado não quer dizer que se tem o melhor produto. Tu sabes disto. O mercado não compra só o melhor. O mercado compra o melhor custo-benefício. E normalmente o melhor produto custa mais caro.

    Outra: nem sempre os líderes de mercado tem a maior lucratividade, isto é, maior ganho por faturamento. Market share é diferente de lucratividade.

    Os números de market share da Apple sempre variaram muito. Acho que isto é o custo da revolução. De qualquer maneira, o faturamento e o lucro da Apple cresceu de 2004 para 2005 e suas ações cresceram também (no primeiro quarto de 2004 valiam $.17; em 2005 valeram $.70). Me parece que a Apple entra em uma crescente novamente.

    http://hardware.silicon.com/desktops/0,39024645,39127175,00.htm
    http://www.macworld.com/news/2005/01/18/applemarket/index.php

    Sempre lembrando que a Apple é muito menor que a IBM e Microsoft, por exemplo, e joga *sozinha*, enquanto que a Microsoft (que não produz hardware) tem a “parceria” de todas as outras empresas que produzem PCs, por um motivo óbvio: para produzir Mac, só a Apple.

    Sobre o Bill Gates, eu não disse que a Microsoft faz software ruim. Eu disse que ela é seguidora. Se ela faz bem, ótimo. Mas não foi disto que eu falei. Sobre a “superioridade da Microsoft”, não posso discutir, porque não tenho uma experiência ou estudo maior para comparar qualidade de software. Acredito que a Microsoft tenha um software de qualidade, mas ainda acho que a qualidade do seu sistema operacional é inferior à qualidade do Mac OS X, principalmente no que diz respeito à interface e usabilidade (facilidade de uso).

    Aqui tem uma análise interessante sobre a Apple que fala sobre qualidade de produtos: http://www.macworld.com/news/2005/02/28/business/index.php

    Não entendi a parte “não ficam dando tiro para todo lado”. Se fosse assim, a Microsoft não teria software para praticamente tudo que é área. Acho que a Microsoft dá tiro para tudo que é lado sim, seja desenvolvendo ela mesma, seja comprando empresas que já tem a tecnologia. Até porque ela precisa deste conhecimento para agregar recursos ao Windows.

    Era isto. Ufa!

%d blogueiros gostam disto: